AGENDE UMA CONSULTA

           A cirurgia bariátrica é atualmente o método mais eficaz e sustentável para perda de peso e tratamento da obesidade grave. A obesidade mórbida é definida quando o índice de massa corporal (IMC) é maior que 40 kg/m².  A
cirurgia também é recomendada para pessoas que possuem doenças associadas e um IMC de 35 kg/m² ou mais.
De acordo com a Dra. Marcela Ferrão, a obesidade mórbida pode reduzir a expectativa de vida entre 5 a 20 anos (média de 11 anos). Por isso, a opção pela cirurgia que diminui não só o peso quanto favorece controle das comorbidades como diabetes, apneia obstrutiva do sono, hipertensão, dislipidemia, entre outros.
Pesquisa realizada pela Sociedade de Cirurgia da Obesidade da Nova Zelândia/Austrália constatou que entre 35 e 80% dos candidatos à cirurgia bariátrica estão em estado de desnutrição e apresentam alguma deficiência na dieta do pré-operatório: 60 a 80% com deficiência de vitamina D, 24% com falta de ácido fólico, 14,5% com deficiência de ferro. Dra. Marcela Ferrão explica que escolhas alimentares pobres em nutrientes, efeitos colaterais de medicamentos para tratar doenças associadas e outros fatores contribuem para esse estado de desnutrição. Portanto, recomenda-se, no pré-cirúrgico, que bons hábitos alimentares sejam instituídos visando recuperar tais deficiências.

Método seguro e eficaz
O estudo concluiu que a cirurgia bariátrica é um método seguro e eficaz de perda de peso para o tratamento da obesidade mórbida, sendo mais eficaz quando combinada com o cuidado nutricional, porém apresenta diferenças quanto a modalidade cirúrgica. A investigação deve constar além de hemograma completo, perfil e marcadores lipídicos para o diabetes, podendo ser repetida caso o paciente apresente outras comorbidades, a avaliação do perfil do ferro, vitamina B12 e ácido fólico, vitamina D3 e perfil do cálcio entre outros.

Fonte: Obesity Surgery Society Australia New Zealand (OSSANZ). www.ossanz.com.au/nutrition.htm