AGENDE UMA CONSULTA

Uma investigação realizada pela University of Helsinki, na Finlândia, com base em dados na pesquisa Finnish Diabetic Nephropathy (FinnDiane), mostrou que consumir três ou mais xícaras de café por dia está associado a maior probabilidade de ter síndrome metabólica, em comparação com a população em geral. De acordo com a análise, os indivíduos com diabetes tipo 1 que consumiram quantidades moderadas ou altas de café tiveram um risco aumentado de síndrome metabólica, em comparação com aqueles que não beberam café, após ajuste feitos para múltiplas variáveis.

Os pesquisadores destacam que são necessários mais estudos para avaliar como o consumo de café pode afetar os desfechos de saúde em pessoas com quadro de diabetes tipo 1. Contudo, o estudo mostra que entre a população, os consumidores regulares de café têm um risco menor de desenvolver síndrome metabólica e, portanto, um menor risco de doença cardiovascular e mortalidade precoce. No entanto, não está claro se os pacientes com diabetes tipo 1 que consomem café regularmente também teriam um menor risco de contrair síndrome metabólica.

Cenário da pesquisa

Os pesquisadores avaliaram 1.040 participantes do estudo FinnDiane que tinham diabetes tipo 1 – definido como início de diabetes antes dos 35 anos de idade e terapia de insulina permanente dentro de um ano do diagnóstico. Dos 906 consumidores de café, 825 (91%) bebiam café filtrado, de forma que os pesquisadores reuniram dados para os diferentes tipos de café. Também haviam mais fumantes no grupo com alto consumo de café (22%) do que nos grupos que bebiam menos (até 12%) ou que não consumiam café (3%). Outro dado da pesquisa é que existia mais homens no grupo que consumia cinco ou mais xícaras de café por dia (60%) do que nos grupos que bebiam menos ou que não consumiam café (32% a 45%). O estudo também aponta que os consumidores de café tinham maiores chances de usar medicamentos anti-hipertensivos ou hipolipemiantes do que os que não consumiam a bebida.

A prevalência de síndrome metabólica aumentou 51% entre pessoas que não consumiam café, 64% para quem consumia pouca quantidade da bebida e atingiu 70% entre pessoas cujo consumo de café era alto. Em comparação com aqueles que não consumiam café, os que bebiam três ou quatro xícaras por dia tinham um risco de síndrome metabólica aumentado em 1,8 vezes, e aqueles que bebiam cinco ou mais xícaras ao dia tinham um risco aumentado de 2,1 vezes (P < 0,05 para ambos), considerando ajuste para idade, sexo, calorias, álcool, atividade física e tabagismo.

Artigo original: Association between habitual coffee consumption and metabolic syndrome in type 1 diabetes. B. Stutz1, A.J. Ahola1, V. Harjutsalo, C. Forsblom, P.-H. Groop’Correspondence information about the author P.-H. GroopEmail the author P.-H. Groop on behalf of the FinnDiane Study Group

Handling Editor: A.A. Rivellese

Link: http://www.nmcd-journal.com/article/S0939-4753(18)30046-2/fulltext