AGENDE UMA CONSULTA
(51) 3024.4665

Estudo mostra como uma dieta rica em sal causa danos no nosso cérebro

Estudo publicado na revista Nature Neuroscience mostra como as funções cognitivas e neurovasculares são afetadas pelo excesso de sal na comida que ingerimos. A investigação demonstra como o processo é desencadeado, desde o intestino delgado até ao cérebro. A boa notícia é que o processo é reversível.

A associação entre uma dieta rica em sal e as doenças cerebrovasculares, acidentes vasculares cerebrais (AVC) e mesmo um prejuízo nas funções cognitivas já foi feita em outros estudos, porém não se sabia como é que este dano era provocado. Essa pesquisa confirma os estragos que o sal provoca no cérebro e esclarece um dos mecanismos responsáveis pelos danos cognitivos. O alerta para este cenário do sal chega com uma luz ao fundo do túnel: os efeitos são reversíveis. Bastará tirar o excesso de sal do prato.

Descobrimos que se alimentarmos ratinhos com uma dieta com um alto teor de sal (oito a 16 vezes mais do que a dieta normal), correspondente aos maiores níveis de consumo de sal em seres humanos, isto vai comprometer o cérebro em nível cognitivo”, explica Costantino Ladecola, professor de neurologia e cientista no centro de investigação Weill Cornell Medicine, em Nova Iorque, nos EUA, e principal autor do artigo.

Em contrapartida, o teste também mostrou que quando os ratinhos regressavam a uma dieta normal, voltavam também a ter um desempenho normal na tarefa de reconhecimento de objetos. No estudo, também foi testada a memória espacial com uma tarefa conhecida como o labirinto de Barnes e analisados outros comportamentos como a nidificação.

Óxido nitrico e a função cerebral

Segundo Ladecola, o efeito no cérebro, resulta da acumulação de uma classe especial de linfócitos chamados Th17 no intestino delgado, e que produzem grandes quantidades de um tipo especial de uma citocina (moléculas envolvidas na emissão de sinais entre as células) chamada IL17. “A IL17 entra na circulação sanguínea, atua nas células endoteliais do cérebro, que ligam os vasos sanguíneos do cérebro, e reprime a produção de óxido nítrico. O óxido nítrico é fundamental para relaxar os vasos (sanguíneos do cérebro) e permitir que o fluxo sanguíneo seja suficiente e para ajudar os neurônios a manterem-se saudáveis”, refere o cientista. Assim, a perda de óxido nítrico reduz o abastecimento de sangue para o cérebro e causa uma disfunção neuronal que leva a danos na cognição. O pesquisador destaca que os efeitos nocivos do sal no cérebro são independentes das subidas de pressão sanguínea. “Portanto, o alto teor de sal na dieta, por si só, é capaz de prejudicar a função cerebral”, conclui.

Fonte: Dietary salt promotes neurovascular and cognitive dysfunction through a gut-initiated TH17 response

Giuseppe Faraco, David Brea, Lidia Garcia-Bonilla, Gang Wang, Gianfranco Racchumi, Haejoo Chang, Izaskun Buendia, Monica M. Santisteban, Steven G. Segarra, Kenzo Koizumi, Yukio Sugiyama, Michelle Murphy, Henning Voss, Joseph Anrather & Costantino Iadecola

Link: https://go.nature.com/2DCzeam