AGENDE UMA CONSULTA
(51) 3024.4665

Estudo proveniente do King’s College London, do Reino Unido, revela que o uso generalizado de antidepressivos a longo prazo pode estar contribuindo para o maior ganho de peso da população. Os resultados da pesquisa mostram que pacientes que usavam algum dos antidepressivos mais comuns tinham maior probabilidade de ter aumento de peso do que aqueles que não usavam esse tipo de medicamento. O risco foi maior durante o segundo e terceiro anos de tratamento. “A maioria das pessoas pensa que vai ganhar peso ao iniciar o tratamento com um antidepressivo mas, na verdade, o risco maior que observamos começou no segundo ano, teve seu pico no terceiro, e continuou até o sexto ano”, explicou o principal autor da pesquisa, Rafael Gafoor, do King’s College London

De acordo com Gaffor, isso significa que medidas para evitar o ganho de peso devem ser aplicadas por muito mais tempo do que havíamos antecipado. Apesar de o risco de curto prazo para ganho de peso no tratamento com antidepressivos já ter sido bem documentado, o risco de longo prazo permanece pouco estudado.

Para ajudar a preencher esta lacuna no conhecimento, Gafoor e colegas analisaram o impacto a longo prazo do uso de antidepressivos no ganho de peso em cerca de 300 mil adultos (136.762 do sexo masculino e 157.957 do sexo feminino) utilizando dados do UK Clinical Practice Research Datalink. O índice de massa corporal (IMC) dos participantes foi registrado em três ou mais ocasiões de 2004 a 2014. No início, o tratamento com antidepressivos foi prescrito para 17.803 (13%) homens e 35.307 (22,4%) mulheres.

O risco absoluto de mais de 5% de aumento do peso corporal sem antidepressivos foi de 8,1 por 100 pessoas-ano versus 11,2 por 100 pessoas-ano com tratamento com antidepressivos (razão ajustada da taxa de 1,21; intervalo de confiança, IC, de 95%, 1,19 – 1,22; p < 0,001). Isto se traduz em um número necessário para causar dano de 59 – ou um episódio extra de ganho de peso acima de 5% para cada 59 pacientes tratados com antidepressivos, assumindo que a associação seja causal, relatam os pesquisadores.

Risco a longo prazo

O risco aumentado para ganho de peso continuou por ao menos seis anos de acompanhamento, e foi maior durante o segundo e terceiro anos do tratamento. Durante o segundo ano, o risco de um episódio adicional de ganho de peso acima de 5% pode ser esperado para cada 27 pacientes tratados, relatam os pesquisadores.

Os dados mostram ainda que, com o uso de antidepressivos, pacientes que inicialmente apresentavam peso normal têm maior risco de desenvolverem sobrepeso ou mesmo obesidade, enquanto que aqueles que estavam inicialmente acima do peso têm risco aumentado de se tornarem obesos.

O tratamento de menos de 12 meses com antidepressivos não pareceu estar associado com ganho de peso, mas isso pode ter sido proveniente de dados incompletos. “Nós não observamos aumento de peso no ano 1, mas devido à forma com que os dados foram coletados, não podemos dizer que tal ganho de peso não está ocorrendo desde o primeiro ano“, disse Gafoor.

Também não está claro “por que o ganho de peso induzido por tratamento com antidepressivos ocorre desta forma, através de um longo período, e achamos que novos estudos devem ajudar a clarear este fato ao analisar a base genética para o ganho de peso induzido por antidepressivos”, acrescentou o pesquisador.

Fonte: Medscape

Link para estudo na íntegra: https://bit.ly/2JLiaUZ