AGENDE UMA CONSULTA
(51) 3024.4665

Comer comida picante está associada a um risco reduzido de morte, de acordo com análise dos dados dietéticos de 485 mil pessoas feito entre 2004 e 2008, em um grande estudo da saúde do governo chinês. O estudo foi publicado no BMJ Journal.

Depois de controlar a história médica familiar, a idade, a escolaridade, o diabetes, o tabagismo e muitas outras variáveis, os pesquisadores descobriram que consumir comida picante, principalmente pimenta, uma ou duas vezes por semana, determinou em 10% a redução do risco de morte relacionados principalmente a problemas cardiovasculares. Já o consumo de alimentos picantes seis a sete vezes por semana reduziu o risco em 14%.

As taxas de doença isquêmica do coração, doenças respiratórias e câncer foram menores nos indivíduos que consumiram “alimentos picantes”. Em contrapartida, os autores do estudo intitulado “Consumption of spicy foods and total and cause specific mortality: population based cohort study” não chegaram ainda a nenhuma conclusão definitiva acerca da causa e efeito, mas eles observaram que a capsaicina – o composto químico principal encontrado na pimenta, havia sido identificado em outros estudos com efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios.

“Precisamos de mais evidências, especialmente dos ensaios clínicos, para comprovar estes resultados,” disse o coautor, Dr. Qi Lu, professor associado de nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard TH Chan.

Fonte: Consumption of spicy foods and total and cause specific mortality: population based cohort study. BMJ, agosto 2015.

Link: http://www.bmj.com/content/351/bmj.h3942/rr-1