Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228 | Porto Alegre contato@marcelaferrao.com.br

Menu

Ficar acordado à noite aumenta risco para doenças metabólicas

Postado por em sono no dia abril 10, 2015


Os homens que são “notívagos” têm um risco aumentado para desenvolver o diabetes tipo 2 e apresentar perda muscular, enquanto as mulheres são mais propensas a desenvolver a síndrome metabólica, mostra pesquisa, que foi publicado na edição de abril do Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, da University College of Medicine da Korea. Este é o primeiro estudo a revelar uma associação entre o cronotipo (ritmo de cada indivíduo) e a sarcopenia (síndrome caracterizada pela perda progressiva e generalizada da força e massa muscular) na população.

Os pesquisadores concordam que a duração do sono encurtado reduz a sensibilidade à insulina e aumenta o risco para o diabetes tipo 2, além da obesidade. Eles destacam, que a qualidade do sono também influencia no aparecimento do diabetes e obesidade.

No estudo, foram avaliados 1.620 adultos, na faixa etária dos 47 e 59. A primeira constatação é a de que nos participantes notívagos, o risco para o diabetes é 73% maior do que para os que ficavam acordados durante a manhã. Já, o risco de sarcopenia ou perda de massa muscular, foi três vezes maior para os que ficavam acordados à noite.

As mulheres com cronotipo para a noite, por outro lado, tiveram duas vezes mais chances de ter a síndrome metabólica do que aquelas que madrugavam. Além disso, tiveram um perfil metabólico pior devido à falta de sono.

De acordo com o estudo, os indivíduos com cronotipo noite são propensos a sofrer de maiores distúrbios do sono. Embora a duração média do sono não tenha sido diferente entre os notívagos e madrugadores, a investigação demonstrou que as pessoas que ficam acordadas à noite ficam em dívida com o sono e estendem o sono durante o final de semana.

Consequências

Em recente reunião anual promovida pela Sociedade de Endocrinologia, em San Diego, os especialistas descobriram que ficar devendo 30 minutos de sono por dia pode resultar no aumento de 17% de obesidade, e em 39%, de resistência à insulina.

A endocrinologista Marcela Ferrão lembra que no que diz respeito à duração do sono, qualidade e período de sono, todos os três componentes, citados na pesquisa, contribuem para o aumento do diabetes e risco de obesidade. “O notívago pode ter hipertensão arterial, arritmias e outras doenças cardíacas, devido ao aumento de substâncias estressoras no organismo e por não haver descanso fisiológico suficiente do sistema cardiovascular, ou seja, a redução da pressão arterial e da frequência cardíaca que ocorre à noite”, alerta a médica.

 

Fonte: J Clin Endocrinol Metab. 2015

Link: http://www.medscape.com/viewarticle/842408


Related Posts

Porto Alegre

Rua Soledade, 569 - Torre A - Sala 1005
Mãe de Deus Center - Porto Alegre/RS
contato@marcelaferrao.com.br
Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228

Pré-agende a sua consulta, determinando dia e horário de sua preferência. Deixe seu telefone que entraremos em contato para confirmar o seu agendamento. Estacionamento rotativo no prédio.