Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228 | Porto Alegre contato@marcelaferrao.com.br

Menu

Industria americana tem três anos para retirar gordura trans dos alimentos

Postado por em Emagrecimento no dia junho 18, 2015


A Food and Drug Administration (FDA), órgão governamental dos Estados Unidos da América responsável pelo controle dos alimentos, de suplementos alimentares e medicamentos, determinou nesta terça-feira, que o uso de gordura trans nos alimentos não é seguro e que os produtos que tenham esse componente em sua composição sejam retirados do mercado em um prazo de três anos.

Em comunicado, o FDA, destacou que diversas provas científicas já mostraram que os óleos vegetais parcialmente hidrogenados, principal fonte de gordura trans nos alimentos processados, não são considerados seguros para serem utilizados na alimentação humana.  O consumo de gordura trans eleva o nível do chamado colesterol ruim.

Desde 2006, os fabricantes foram obrigados a incluir informações de conteúdo de gordura trans nos rótulos. Entre 2003 e 2012, a FDA estima que o consumo de gordura diminuiu 78% no país e que a nova regra de rotulagem foi um dos fatores a puxar a queda.

De acordo com a endocrinologista Dra. Marcela Ferrão, essa iniciativa deveria ser adotada por outros países como o Brasil. Ela explica que as gorduras trans formadas durante o processo de hidrogenação industrial que transforma óleos vegetais líquidos em gordura sólida à temperatura ambiente são utilizadas para melhorar a consistência dos alimentos e também aumentar a vida útil dos alimentos.

Em muitas áreas a gordura trans dos óleos vegetais parcialmente hidrogenados substituiu a gordura sólida e óleos líquidos naturais. Os alimentos que mais provavelmente contêm gordura trans são frituras, molhos de salada, margarinas, entre outros alimentos processados.

A gordura hidrogenada é obtida através da hidrogenação industrial de óleos vegetais (que são líquidos à temperatura ambiente), formando uma gordura de consistência mais firme. Por suas características, ela melhora a palatabilidade e textura, e aumenta a vida de prateleira dos produtos, por isso é muito utilizada na indústria. A gordura hidrogenada também é usada por redes de fast food e restaurantes para frituras.

Produtos como margarinas, sorvetes cremosos, biscoitos, bolos, tortas, pães, salgadinhos, pipoca de micro-ondas, bombons, e tudo mais que contenha gordura hidrogenada, são fontes de gordura trans.

Legislação no Brasil

No Brasil as autoridades em saúde determinaram que em rótulos venha determinada a quantidade de gordura trans contida por porção. Essa quantidade muitas vezes nem é notada pelo consumidor, e a principal causa é a falta de interesse e de informação. O valor calórico, antes considerado 2,5 mil calorias, decaiu em valor devido à grande quantidade de gorduras trans utilizadas, diminuindo para 2 mil calorias.

No segundo semestre de 2006, as empresas foram obrigadas a declarar a quantidade de gordura trans no rótulo, de acordo com a resolução da Anvisa (RDC 360/2003). Poucos produtos já foram reformulados a fim de eliminar essa gordura de sua composição.

Apesar da resolução que obriga os fabricantes de alimentos industrializados a declarar a quantidade de gordura trans em seus produtos, as indústrias usam uma brecha técnica para continuar a vender produtos com gordura trans e ao mesmo tempo utilizar selos em suas embalagens declarando-os com “0% de gordura trans”. Isso permite que o próprio fabricante arbitrariamente escolha qual o tamanho de 1 porção de seu produto para que a quantidade de gorduras trans por porção fique abaixo de 0,2g. Um fabricante de biscoitos, por exemplo, pode imprimir em sua tabela nutricional que os valores de 1 porção equivalem a 1/2 biscoito, e assim induzir o consumidor a acreditar que esse produto não contém nenhuma gordura trans.

Uma maneira segura de comprovar a adição de gordura trans é a leitura da lista de ingredientes do alimento. Se contiver gordura vegetal hidrogenada, ou gordura vegetal, certamente contém gordura trans.

A Anvisa não exige mais que os fabricantes grafem gordura vegetal hidrogenada por extenso nas embalagens, permitindo que ela seja indicada apenas como gordura vegetal. Então, outra maneira de verificar a presença de gordura trans é verificar a lista de ingredientes impressa nas outras línguas – se disponível.

Por isso, é importante destacar que a gordura trans não é o mesmo que gordura hidrogenada, porém esta contém a maior quantidade de gordura trans. A recomendação é que se consuma o mínimo possível, não existindo quantidade mínima recomendada por dia, qualquer quantidade por menor que seja, é prejudicial. Veja na tabela abaixo a quantidade de gordura trans presente em alguns alimentos:

Produto Quantidade Gordura trans
Biscoito água e sal 2 unidades (30g) 1,0 g
Biscoito recheado 2 unidades (30g) 1,5 g
Biscoito tipo waffer 4 unidades (30g) 5,0 g
Sorvete de creme, com recheio de doce
de leite coberto com chocolate ao leite.
1 casquinha (81g) 1,4 g
Big Mac 1 sanduíche 1,1 g

 

Fonte:

Anvisa – http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home

FDA – http://www.fda.gov/

 


Related Posts

Porto Alegre

Rua Soledade, 569 - Torre A - Sala 1005
Mãe de Deus Center - Porto Alegre/RS
contato@marcelaferrao.com.br
Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228

Pré-agende a sua consulta, determinando dia e horário de sua preferência. Deixe seu telefone que entraremos em contato para confirmar o seu agendamento. Estacionamento rotativo no prédio.