Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228 | Porto Alegre contato@marcelaferrao.com.br

Menu

Metade dos adultos norte-americanos são diabéticos e pré-diabéticos

Postado por em Diabetes no dia setembro 26, 2015


Cerca da metade da população adulta norte-americana tem diabetes ou é pré-diabética, apesar da prevalência da doença parecer estabilizada após décadas de aumento, revelou estudo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA). Quase 40% dos norte-americanos adultos era pré-diabético e 12 a 14% tinha diabetes entre 2011 e 2012, de acordo com a pesquisa.

A análise teve como objetivo comparar diretamente a prevalência do diabetes tipo 2 em 341 americanos de origem asiática com outros grupos raciais e étnicos nos Estados Unidos. Todos as pessoas em questão deveriam   apresentar IMC igual ou maior do que 23 kg/m², o que aumentou a sensibilidade de rastreio para pré-diabéticos e diabéticos em 50,2%.

Foram utilizados dados da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição sobre o estado de saúde dos norte-americanos em 50 estados. Entre os que tinham diabetes, 36,4% eram casos não diagnosticados. Essa percentagem era mais elevada entre latinos e americanos de origem asiática, aproximadamente 50% dos casos.

Apesar desses aumentos, os pesquisadores detectaram que a elevação numérica de casos foi muito rápida, o que pode indicar “uma estabilização na prevalência de diabetes”, dado que acompanha a tendência de obesidade nos Estados Unidos, que também se estabilizou no mesmo período.

A identificação precoce dessas condições pode ser benéfica para a prevenção primária e secundária nessa população que desenvolveu pré-diabetes e diabetes apesar dos níveis mais baixos de IMC.

Organização Mundial de Saúde

Desde 1993, a Organização Mundial da Saúde utiliza o IMC padrão recomendado, que fica entre 25 kg/m² (sobrepeso) e 30 kg/m² (obesos). Em 2002, a Organização Mundial da Saúde propôs redução do IMC, categorizando-os entre 23 kg/m² (sobrepeso) e 27.5 kg/m² (obesos).

No entanto, até pouco tempo, esses pontos de corte não eram recomendados nas diretrizes para o uso clínico. No momento em que se reduziu o critério de IMC até 23 kg/m², a sensibilidade de rastreio das pessoas com pré-diabetes e diabetes aumentou em quase 25%, o que proporciona a identificação de mais indivíduos nessas condições.

Outras pesquisas mostraram que a prevalência de sobrepeso/obesidade em americanos asiáticos foi muito elevada ­ em alguns subgrupos maior do que em outras etnias e que a prevalência do diabetes tipo 2 nas pessoas com IMC entre 23 e 24.9 kg/m², foi maior na população vietnamita, coreana e em grupos da Ásia do Sul, em comparação com os brancos não-hispânicos.

Fonte: Impact of Lowering BMI Cut Points as Recommended in the Revised American Diabetes Association Standards of Medical Care in Diabetes — 2015 on Diabetes Screening in Asian Americans. Daniel S. Hsia, Sandra Larrivee, William T. Cefalu, William D. Johnson

 


Related Posts

Porto Alegre

Rua Soledade, 569 - Torre A - Sala 1005
Mãe de Deus Center - Porto Alegre/RS
contato@marcelaferrao.com.br
Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228

Pré-agende a sua consulta, determinando dia e horário de sua preferência. Deixe seu telefone que entraremos em contato para confirmar o seu agendamento. Estacionamento rotativo no prédio.