Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228 | Porto Alegre contato@marcelaferrao.com.br

Menu

O tamanho da cintura pode identificar doenças do coração com mais eficiência

Postado por em Circunferência abdominal no dia abril 13, 2016


Um estudo realizado com pessoas com diabetes revelou que o tamanho da cintura pode prever doenças perigosas para o coração. O trabalho foi publicado na conferência do American College de Cardiology, em Chicago, nos Estados Unidos, e se baseia em um estudo com 200 pessoas com diabetes e que não mostraram qualquer sintoma de doença cardíaca. Os pesquisadores descobriram que os que possuíam uma cintura maior eram mais propensos a sofrer problemas no ventrículo esquerdo do coração, que bombeia sangue rico em oxigênio para o cérebro e o resto do corpo.

De acordo com o pesquisador Boaz Rosen, líder do estudo e integrante da Universidade Johns Hopkins de Maryland (EUA), a circunferência da cintura parece ser um elemento de previsão mais contundente para a disfunção do ventrículo esquerdo que o peso corporal total ou o índice de massa corporal. Pesquisas anteriores revelaram que quanto maior é o índice de massa corporal de alguém – uma medida que associa altura e peso -, maior é seu risco de padecer de doenças cardíacas. Os cientistas, no entanto, dizem que ainda é necessário continuar com a pesquisa para ver se os pacientes diabéticos com grandes cinturas e sinais de problemas cardíacos chegam a desenvolver insuficiência cardíaca ou doença nas artérias no futuro.

Formas do corpo

Os especialistas dividem as pessoas com sobrepeso ou obesidade em dois formatos característicos do corpo: o formato de pera e o formato de maçã. Pessoas com o corpo em formato de pera têm a gordura mais concentrada nas nádegas, quadris e coxas. Já as pessoas com corpo em formato de maçã têm a gordura mais concentrada ao redor do abdome. Os corpos em forma de maçã já estão associados com a síndrome metabólica (que inclui a hipertensão arterial, níveis elevados de açúcar e colesterol alto), bem como à doença arterial e cardíaca coronária.

A síndrome metabólica é muitas vezes acompanhada de excesso de gordura corporal em torno do abdômen. “Este estudo confirma que ter um corpo em forma de maçã – ou uma circunferência de cintura alta – pode levar a doenças cardíacas, e que reduzir o tamanho da cintura pode reduzir seus riscos”, acrescenta Brent Muhlestein, co-diretor da pesquisa no Centro Médico do Instituto do Coração Intermountain, em Salt Lake City (EUA).

Pesquisas mostram ainda uma forte correlação entre o ganho de peso e a função ventricular esquerda regional – a obesidade é um grande risco para a saúde em todos os casos. Uma em cada três pessoas terá a doença cardiovascular na vida, e cerca de um terço delas vai morrer de um ataque cardíaco ou de um mau funcionamento semelhante antes de sua enfermidade cardíaca ser diagnosticada.

Fonte:

WAIST CIRCUMFERENCE IS A STRONG PREDICTOR OF REGIONAL LEFT VENTRICULAR DYSFUNCTION IN ASYMPTOMATIC DIABETIC PATIENTS: THE FACTOR- 64 STUDY

Boaz D. Rosena,b; Ravi Sharmaa,b; Kenneth D. Hortona,b; Heidi Maya,b; Yitzhak Rosena,b; Jeffrey Andersona,b; Donald Lappea,b; Joao Limaa,b; J. Muhlesteina,b

 

Link: http://bit.ly/1VkPykK


Related Posts

Porto Alegre

Rua Soledade, 569 - Torre A - Sala 1005
Mãe de Deus Center - Porto Alegre/RS
contato@marcelaferrao.com.br
Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228

Pré-agende a sua consulta, determinando dia e horário de sua preferência. Deixe seu telefone que entraremos em contato para confirmar o seu agendamento. Estacionamento rotativo no prédio.