Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228 | Porto Alegre contato@marcelaferrao.com.br

Menu

Os efeitos dos esteróides nas funções reprodutivas

Postado por em esteróides no dia julho 23, 2015


Esteróides anabólicos androgênicos (EAA) ou simplesmente  hormônios esteroides são drogas que se assemelham a Testosterona, um hormônio masculino produzido pelos testículos a partir do colesterol. Essas substâncias são usadas por atletas que buscam obter diminuição da massa gorda, aumento da massa muscular, do peso, da força e potência, da velocidade e da agressividade. Esse tipo de substância vem sendo vastamente utilizada por atletas envolvidos em esportes como o futebol, atletismo, levantamento de peso, fisiculturismo, lutas, e hoje em dia, até mesmo pelo simples praticante de academia. Contudo, apesar da sua vasta utilização e popularidade, o efeito atribuído a essa droga ainda é controverso.

Os esteróides anabólicos androgênicos têm sido associados a muitos efeitos indesejáveis ​​ou adversos em estudos de laboratório e tratamentos terapêuticos. Os efeitos de maior preocupação são aqueles observados no fígado, sistema cardiovascular e sistema reprodutivos, além de atingir o estado psicológico dos indivíduos.

Efeitos adversos no fígado

As mais graves complicações hepáticas associadas a esteróides anabolizantes androgênicos são peliose hepática (cistos cheios de sangue no fígado de etiologia desconhecida) e tumores hepáticos. Casos de peliose hepática foram relatados em indivíduos tratados com esteróides anabólicos androgênicos para várias condições. A ruptura das cavidades ou falência hepática resultantes da condição era fatal em alguns indivíduos. A possível natureza de causa-e-efeito da associação entre a peliose hepática e uso de esteróides anabólicos androgênicos é reforçada pela observação de melhora na condição após a interrupção da terapia medicamentosa em alguns casos. Não há relatos desta condição em atletas que usam esteróides anabólicos androgênicos, mas investigações específicas para essa desordem não foram realizadas em atletas.

Tumores hepáticos têm sido associados ao uso de esteróides anabolizantes androgênicos em indivíduos que receberam essas drogas como parte do tratamento. Estes tumores são geralmente benignos, mas tem ocorrido lesões malignas associadas ao uso dessas drogas. A possível natureza de causa-e-efeito dessa associação entre o uso do desenvolvimento de medicamentos e tumor é reforçada por um relatório de regressão do tumor após a suspensão de tratamento de drogas.

Testes sanguíneos da função hepática foram relatados e inalterados com o uso de esteróides em alguns estudos de treinamento e anormal em outros. No entanto, as lesões de tumores peliose hepática e do fígado nem sempre resultam em anormalidades dos exames de sangue, e afirmam alguns autores que scans radioisótopo fígado, ultra-som, ou tomografia computadorizada são necessários para o diagnóstico.

Efeitos adversos no sistema cardiovascular

As alterações induzidas por esteróides que podem afetar o desenvolvimento de doenças cardiovasculares incluindo hiperinsulinemia, intolerância à glicose, diminuição dos níveis de colesterol de lipoproteína de alta densidade e da pressão arterial elevada. Estes efeitos são variáveis ​​para diferentes indivíduos em situações clínicas diversas. Triglicerídeos são reduzidos pelo uso de esteróides anabolizantes androgênicos em certos indivíduos e são aumentados em outros. Exames histológicos de miofibrilas e mitocôndrias de tecido cardíaco obtido a partir de animais de laboratório mostraram que a administração de esteróides anabolizantes leva a alterações  patológicas nessas estruturas. Embora potencialmente perigosos, os efeitos cardiovasculares dos esteróides anabolizantes androgênicos precisam ser melhor estudados.

Efeitos adversos no Sistema Reprodutivo Masculino

       Os efeitos dos esteróides anabólicos androgênicos no sistema reprodutor masculino são oligospermia (pequeno número de espermatozóides) e azoospermia (ausência de espermatozóides no sêmen), diminuição do tamanho testicular, aparência anormal do material da biópsia testicular, e reduções na testosterona e hormônios gonadotrópicas. Esses efeitos foram mostrados em estudos de treinamento, de voluntários normais, ensaios terapêuticos e de estudos com atletas que estavam usando esteróides anabolizantes androgênicos. Considerando as alterações apresentadas no eixo hipófise-gonadal, a disfunção para essas anormalidades pode se relacionar a supressão induzida por esteróides na produção de gonadotrofina. As mudanças nesses hormônios são originalmente reversíveis após a cessação do tratamento medicamentoso, mas os efeitos a longo prazo da alteração do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal permanecem desconhecidos. No entanto, existe um relatório de anormalidades residuais na morfologia testicular de homens saudáveis ​​seis meses após a interrupção do uso de esteróides.

Efeitos adversos no sistema reprodutivo feminino

Os efeitos dos esteróides androgênicos no sistema reprodutor feminino incluem a redução nos níveis de hormônio luteinizante, hormônio folículo-estimulante, de estrógeno e de progesterona; inibição da foliculogênese e ovulação; e alterações do ciclo menstrual, incluindo o prolongamento da fase folicular, encurtando da fase lútea e amenorréia (suspensão do sangramento menstrual).

Efeitos adversos sobre o estado psicológico 

Em ambos os sexos, os efeitos psicológicos de esteróides anabólicos androgênicos incluem aumentos ou diminuições de libido, alterações de humor e comportamento agressivo, que está relacionada com os níveis de testosterona plasmática. A administração de esteróides provoca alterações no eletroencefalograma semelhantes aos observados com drogas psico-estimulante. As possíveis ramificações do comportamento agressivo devem ser consideradas antes do uso de esteróides anabolizantes androgênicos.

Outros efeitos adversos

Outros efeitos colaterais associados aos esteróides anabolizantes androgênicos incluem: ataxia (disturbio da marcha); fechamento das epífises ósseas prematuramente levando a parada do crescimento em jovens ainda em fase de crescimento; virilização (masculinização de caracteres sexuais secundários) em jovens e mulheres, incluindo hirsutismo (aumento do volume dos pelos), clitoromegalia (aumento irreversível do tamanho do clitóris), engrossamento irreversível da voz; acne e alopecia. Essas reações adversas podem ocorrer com o uso de esteroides anabolizantes androgênicas e se acredita ser dependente do tipo de esteroide, posologia e duração do uso de drogas. Não existe um método para predizer quais indivíduos são mais propensos a desenvolver tais efeitos adversos, alguns dos quais são potencialmente perigosos.

Fonte:

Medical consequences of doping with anabolic androgenic steroids: effects on reproductive functions. Eberhard Nieschlag and Elena Vorona. 2015.


Porto Alegre

Rua Soledade, 569 - Torre A - Sala 1005
Mãe de Deus Center - Porto Alegre/RS
contato@marcelaferrao.com.br
Agendamentos/contato - (51) 3024.4665 | (51) 99644.0228

Pré-agende a sua consulta, determinando dia e horário de sua preferência. Deixe seu telefone que entraremos em contato para confirmar o seu agendamento. Estacionamento rotativo no prédio.