AGENDE UMA CONSULTA
(51) 3024.4665

A pressão alta está entre as principais culpadas por infarto, acidente vascular cerebral, entre outros males. Fatos tão preocupantes cobram uma medida enérgica. E foi o que fizeram a Associação Americana do Coração e o Colégio Americano de Cardiologia ao atualizar as recomendações de diagnóstico e tratamento da pressão alta. Antes, o sujeito era hipertenso se o aparelhinho mostrasse números acima de 140 por 90 milímetros de mercúrio (mmHg). Agora, 130 por 80 (o popular 13 por 8) já é doença, e situações que variam de 120 a 129 por 80 – antes normais – acionam o sinal amarelo.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), ajustes na dieta e exercícios derrubam até 20 mmHg. Ou seja, a cada redução de 2 mmHg, o risco de um AVC cai em 10%.

Veja como eram e como ficaram as recomendações americanas para pressão arterial. A última diretriz brasileira já apontava a mesma tendência:

Como ficou nos EUA

Normal – abaixo de 120 por 80

Pré-hipertensão / pressão elevada* – de 120 a 129 por 80 (antes era de 120 por 80 a 139 por 89)

Hipertensão – acima 130 por 80 (antes era acima de 140 por 90)

Como é no Brasil

Normal – abaixo de 120 por 80

Pré-hipertensão / pressão elevada* – de 121 por 81 a 139 por 89

Hipertensão – acima de 140 por 90

*não existe mais o termo “pré-hipertensão.

Fonte: American College of Cardiology

Link: https://bit.ly/2zZPd3f